phmb


Go to content

phmb

O que é Poli(hexametileno Biguanida)?

A poli(hexametileno biguanida) é uma substância química sintética pertencente ao grupo das biguanidas. Desde 1879 as biguanidas vem sendo estudadas como potencial antimicrobianos na preservação de cosméticos, produtos farmacêuticos e como princípio ativo em formulações de anti-sépticos, desinfetantes e sanitizantes para diversas áreas de aplicação. Como exemplos primários destas biguanidas pode-se citar a Clorexidina – biguanida monomérica, e a bis(biguanida) ou biguanida polimérica – a poli(hexametileno biguanida) ou PHMB.


A utilização de antimicrobianos nas formulações de sanitizantes e desinfetantes é essencial para a manutenção de altos níveis de padrões de higiene e limpeza. Tais produtos ajudam a manter os microrganismos patogênicos sob controle evitando o aparecimento de infecções. Estes antimicrobianos são particularmente importantes em ambientes de alto risco de contaminação, tais como indústrias de processamento de alimentos e hospitais. Assim, nos últimos anos, a necessidade de um antimicrobiano efetivo para ser utilizado nestes ambientes, faz com que sejam extensivamente estudados e de máxima importância.


Nas tabelas abaixo pode ser verificada a atividade antimicrobiana do PHMB no controle de diversos microrganismos (Tabelas 1 a 3).


O PHMB também tem demonstrado uma boa atividade virucida. Testes foram conduzidos com suspensões de virus inoculadas em células animais, as quais foram tratadas com diferentes concentrações de PHMB visando definir o tempo de contato necessário para reduzir 50% da infecção inicial (Tissue Culture Infecting Dose at 50% or TCID50) ou controlar totalmente a infecção. A atividade virucida do PHMB foi determinada utilizando-se algumas espécies de virus reconhecidamente problemática na área médica (Tabela 4), tais como “Vaccinia [Poxviridae]”, “Influenza Hong Kong” [Orthomyxoviridae] e “Herpes Simplex” [Herpesviridae], além de espécies importantes para área veterinária como, “Avian Infectious Laryngotracheitis” [ILT] (Tabela 5) , “Marek Virus [Herpesviridae]” (tabela 6) e “Herpes virus” (Tabela 7), “Swine virus” [Coronaviridae] (Tabela 8) e “Fowlpox virus” [ Poxviridiae] (Tabela 9).


REFERÊNCIAS
1-Rathke, B., Berichte Der Deutschen Keramische Gesselshaft, 12, 776 (1879).
2-Curd, F.H.S., and Rose, F.L., Journal of the Chemical Society, Part II, 729 (1946).
3-British Pharmaceutical Codex, The Pharmaceutical Press, London (1973).
4-Rose, F.L., and Swain, G., Journal of the Chemical Society, Part IV, 4422 (1956).
5-ICI Specialty Chemicals Technical Literature Ref. 30-15: Products for the formulation of solid surface disinfectants and detergent sanitizers.
6-Davies, A., Bentley, M., and Field, B.S., Journal of Applied Bacteriology, 31, 448 (1968).
7-Cutler, R. A., Diana, D., and Schalit, S., Soap and Chemical Specialties, 42, 45 (1966).
8-Broxton, P., Woodcock, P.M., and Gilbert, P., Microbios, 41, 15-22 (1984).
9-Broxton, P., Woodcock, P.M., Gilbert, P., Microbios, 40, 187-193 (1984).
10-Broxton, P., Woodcock, P.M, Gilbert, P., and Heatley, G., Journal of Applied Bacteriology, 57, 115-125 (1984).
11-Singer, S.J., and Nicolson, G.L., Science, 175, 720 (1972).
12-Ikeda, T., Ledwith, A. Bamford, C.H., and Hann, R.A., Biochem-Biophys. Acta., 769, 57-66 (1984).



No Brasil, este poderoso agente antimicrobiano, de múltiplas aplicações em várias áreas da Saúde e Higiene, pode ser encontrada como um produto em spray higienizante – o Prote&Clean, disponíveis em farmácias, drogarias e dentais. Originalmente desenvolvido para a higiene das mãos, facilmente encontrou por seus usuários, uma ampla aplicação em processos de higienização e anti-sepsia de pele humana, pele animal e de superfícies e objetos, tais como, peças protéticas, próteses dentárias, maçanetas, torneiras, calçados, copos, talheres, pratos e vasilhas, ferramentas e equipamentos em contato com o corpo humano, travesseiros, roupas íntimas, etc.


COMPARAÇÃO ENTRE DESEMPENHOS
PHMB X CLOREXIDINA


Devido a seu tamanho macromolecular, a PHMB apresenta melhor desempenho do que a clorexidina em relação à maioria dos microorganismos patogênicos comumente encontrados em hospitais. Observa-se na figura abaixo, menores valores de MIC (Concentração Mínima Inibitória) para PHMB. Quanto menor esse valor, mais eficaz é a substância.


Apresenta uma atividade antimicrobiana residual cerca de 10 vezes maior que a clorexidina. Em enxaguatórios bucais, apresenta melhor controle de placas do que a clorexidina sem provocar o amarelamento dos dentes, normalmente, provocado pela clorexidina.


Higiene e Saúde | quimicoluiz@yahoo.com.br

Back to content | Back to main menu